[ editar artigo]

Investimentos: Como fazer a Declaração de Imposto de Renda 2019

Investimentos: Como fazer a Declaração de Imposto de Renda 2019

Nesse artigo eu vou mostrar o passo a passo de Como fazer a Declaração de Imposto de Renda 2019 dos seus investimentos financeiros.

Você vai aprender a declarar suas ações, rendimentos isentos e tributáveis, Fundos Imobiliários, Renda Fixa, fundos de investimentos, Operações em Day Trade e opções.
Tudo separado com vídeos e tutoriais completos.

Declaração de imposto de renda 2019

DOWNLOAD DO PROGRAMA DA RECEITA DO SITE DA UOL

AÇÕES

Primeiro passo – Rendimentos isentos e não tributáveis
1 – OPÇÃO 09 lucros e dividendos recebidos
2 – OPÇÃO 18 incorporação / Bonificação em ações
3 – OPÇÃO 20 Vendas de ações até 20 mil no mês


Segundo passo – Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva
1 – Opção 10 Juros sobre capital próprio (JCP)
2 – Opção 06 Rendimentos de aplicações financeiras (Somente para aluguel de ações)

Terceiro passo – Bens e Direitos
1 – OPÇÃO 31 Ações (inclusive as provenientes de linha telefônica)

Quarto passo – Dívidas e Ônus Reais
1 – Outras dívidas e ônus reais (Somente para venda descoberta virando o ano na posição vendida)

Quinto passo – Renda variável operações comuns e Day trade
1 – Lançar lucros mês a mês que tiveram imposto gerado (Vendas acima de 20 mil)
2 – Lançar o prejuízo mês a mês a ser compensado depois

 

FIIS Fundos de investimentos imobiliários

Primeiro passo – Rendimentos isentos e não tributáveis
1 – OPÇÃO 26 Outros (Para proventos de Fiis)

Segundo passo – Bens e Direitos
1 – OPÇÃO 73 Fundos de investimentos imobiliários

Terceiro passo – Renda variável Operações com Fundos imobiliários 
1 – Lançar lucro/prejuízo mês a mês

 

RENDA FIXA E FUNDOS DE INVESTIMENTOS

Primeiro passo – Rendimentos isentos e não tributáveis
1 – OPÇÃO 12 Rendimentos de cadernetas de poupança, Letras hipotecárias, LCI e LCA
OBS: Informar o CNPJ da fonte pagadora (Corretora e/ou Banco) Lançar todos os rendimentos juntos.


Segundo passo – Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva
2 – Opção 06 Rendimentos de aplicações financeiras
OBS: Informar o CNPJ da fonte pagadora (Corretora e/ou Banco) Lançar todos os rendimentos juntos.

Terceiro passo – Bens e Direitos
1 – OPÇÃO 41 Caderneta de poupança CNPJ DO BANCO
2 – OPÇÃO 45 – Aplicações de renda fixa. Aqui entram CDB, RDB, LCA, LCI, CRA, CRI – CNPJ DO BANCO EMISSOR
3 – OPÇÃO 45 Aplicações em renda fixa TESOURO DIRETO CNPJ DA CORRETORA OU BANCO CUSTODIANTE
71 – Fundos de curto prazo (CP). Alguns fundos de renda fixa são classificados desta forma.
72 – Fundos de longo prazo (LP) e de investimento em direitos creditórios (FIDC). A maioria dos fundos de renda fixa (DI ou RF) e dos multimercados (FIM) entra neste código.
73 – Fundos de investimento imobiliário (FII).
74 – Fundos de ações (FIA), de participações (FIP) e de índices de mercado (ETF).
79 – Outros fundos.

 

DAY TRADE E OPÇÕES

Primeiro passo – Renda variável operações comuns e Day trade
1 – Lançar lucro/prejuízo mês a mês com as devidas DARFs pagas.
2 – DARFs com atrasos: Fazer o pagamento antes de declarar para evitar problemas com a receita.

Multas – Acréscimo de 0,33% ao dia com o valor máximo limitado a 20%

Para fazer a conta, basta somar a quantidade de dias desde o vencimento até o pagamento e aplicar a porcentagem. Caso exceda os 20%, fica valendo o limite fixado pela Receita Federal. 

Juros – Primeiro, é somada a taxa Selic do mês seguinte ao do vencimento da DARF até o mês anterior ao pagamento;
Depois acrescenta-se a essa somatória 1% relativo ao mês do pagamento.

 

Wellington de Sousa
(22) 99864-6280 Whatsapp

Virei Trader - Comunidade de Day Trade
Ler matéria completa
Indicados para você