[ editar artigo]

Mas Afinal, O Que É Ser Trader?

Mas Afinal, O Que É Ser Trader?


A atividade desempenhada por um "trader" está, entre todas as atividades profissionais possíveis, a maior carga emocional envolvida.
Tudo acontece com maior força e intensidade no mercado financeiro se comparado a outros setores da economia. O mercado é sempre o primeiro a absorver e reagir a notícias ou fundamentos, sejam estes positivos ou negativos. Na grande maioria das profissões, o ciclo de materialização e realização dos resultados é distribuído no tempo. No mercado financeiro o seu resultado é apurado instantaneamente. Acertou, ganhou. Errou, perdeu.

Nesse oceano que é o mercado financeiro você se depara com inúmeras pessoas com pensamentos diferentes, analisando as mesmas notícias e dados, previstos ou não previstos, e emitindo relatórios e opiniões favoráveis ou não. Ao mesmo tempo, essas pessoas reagem nas bolsas, abrindo, fechando ou "estopando" suas posições. Por muitas vezes estas notícias ou dados mexem com o mercado de tal jeito que você se vê obrigado a tomar decisões rápidas, inesperadas e, por vezes, no sentido contrário ao que você estava posicionado e portanto, contrário da direção que você acreditava que o mercado iria.

Emocional do Trader

Você também vai ter que lidar com a sensação de perda. Operar nos mercados é tentativa e erro. É natural do ser humano ter resistência para reconhecer erros e quando não cortamos logo o prejuízo, o dano pode ser irreparável. Quando acertamos, tendemos a encerrar a posição prematuramente, alimentando o ego, porém deixamos de pegar um lucro bem maior. A impulsividade é mais um comportamento para o trader ficar atento. O mercado é uma enorme vitrine de tentações, onde nos deparamos com grandes oscilações de um dia para outro. Todos os dias, terminado o pregão, olhamos para o lado esquerdo do gráfico e pensamos: "Poderia ter feito esta operação aqui, me daria este tanto de lucro". Este é o melhor caminho para aumentar a já tão tensa atividade de operar nos mercados. 

Existem falsos traders

Somando-se às tentações, você ainda vai conviver com outros "traders", que ora só contam vitórias e nunca as derrotas, ora postam resultados fictícios obtidos em contas demonstrativas. Na era das redes sociais e fake news, o que mais tem por aí são "traders" que não ganham dinheiro no mercado postando resultados irreais para atrair incautos e vender cursos de como ficar rico na bolsa de valores. Este é outro fator que só prejudica o psicológico do trader. Esqueça os outros.

As tentações geram impulsividade e tomada de decisões precipitadas ou atrasadas, majoritariamente perdedoras. O ego de um trader pode ir do céu ao inferno em questão de minutos. Uma sequência de acertos alavanca a autoconfiança e a sensação de que estamos no total controle do mercado. O excesso de confiança gera euforia e ganância, que pode fazer com que o trader aumente o tamanho de novas posições ou faça operações mais arriscadas. O ego inflado também resulta em cegueira aos sinais mais óbvios de mudança de rumo do mercado, que ficam ofuscados pela excessiva autoconfiança. É muito comum, após um período de lucros, devolvermos boa parte deles em uma única aposta. Por isso, tenha sempre a consciência de que o mercado é soberano e uma hora te pegará com o pé trocado. A única maneira de evitar sair machucado disso chama-se GERENCIAMENTO DE RISCO.

Se por um lado uma sequência de acertos leva à ganância, repetidos erros criam baixa estima, insegurança e medo. E o medo é um dos piores inimigos que um trader pode ter. O trader medroso vê o sinal de entrada no mercado, mas sempre espera mais um pouco para confirmar e acaba entrando atrasado. Na hora de sair da operação, o trader se apavora com a possibilidade da perda, "estopando" a posição antes mesmo que o sinal de saída seja confirmado. Um trader com baixa estima e inseguro, descrente da sua capacidade e de suas ferramentas de análise, passa a apoiar as decisões na opinião alheia, ou ainda, sai à procura de sistemas mais rígidos e automatizados, com menor intervenção pessoal.

Resultado de imagem para Daytrade

Ao depender da opinião de terceiros ou robotizar excessivamente seu comportamento, o trader anula sua capacidade de análise e sensibilidade de mercado. E mais, perde a identidade e independência na avaliação do cenário, fatores imprescindíveis para o sucesso na atividade. Maria vai com as outras não funciona nos mercados. O trader deve se exercitar, parar de pensar com a sua cabeça apenas e começar a pensar com a cabeça do mercado, dos grandes players que movem o mercado.

Os preços mudam de direção de uma hora para outra, muitas vezes de forma misteriosa e em velocidade maior do que a nossa capacidade de elaboração. É preciso estar aberto e preparado para acompanhar e encarar essas variações. Pensar com a cabeça do mercado é observar a reação dos players aos fundamentos e notícias e seus reflexos nos preços e no posicionamento de quem manda no mercado. É não se fixar a uma ideia ou padrão, não ser premeditado ou preconcebido. É deixar-se guiar pelos ventos do mercado. Por meio da mudança de postura, você se liberta do apego à opinião pessoal e fica livre para navegar nos movimentos direcionais que estão prevalecendo, ainda que não concorde.

Não tente explicar, tente entender o mercado.

In memoriam Marcos de Sá Moreira Masagão. Obrigado pelos ensinamentos.

Ler matéria completa
Indicados para você